Escritores discutem a influência africana na literatura brasileira

O passado usineiro e escravagista de Ipojuca foi citado como um momento de grande influência histórica no panorama cultural local e brasileiro. Carlos Santos citou a era dos senhores de engenho como “uma época próspera, onde as famílias eram mais felizes e seguras”. Já Paulo Roberto Corino, comentou sobre a composição étnica do Rio Grande do Sul, seu estado natal, no qual a presença africana é pouco comentada, mas foi aparentemente tão fundamental quanto as migrações alemães e italianas.

A professora Célia de Souza foi convidada para participar do debate e ressaltou a miscigenação do povo brasileiro como fator influente na pluralidade da literatura. A partir de nomes como Jorge Amado e Fernando Sabino, que tocam em aspectos diversos da experiência brasileira, a convidada lembrou também que é possível notar os lentos avanços de questões sociais como raça e classe quando se observa esse panorama literário e histórico.

Deixe uma resposta