Diálogo sobre o turismo em Pernambuco

Alberto Feitosa, Otaviano Maroja, Mário Plar e Bráulio Moura compuseram uma mesa que discutiu as questões do turismo em Porto de Galinhas

Segundo o hoteleiro Otaviano Maroja, Porto tem crescido vigorosamente nos últimos anos. De acordo com dados oferecidos pelo presidente, cerca de 75% dos turistas vem do Brasil, mas os estrangeiros têm optado pelo destino por conta das baixas tarifas, que competem apenas com o agressivo investimento turístico das ilhas caribenhas.

O secretário Mário Pilar reflete que as condições atuais do turismo local são resultantes de grande trabalho de empresários que, viram na modesta vila de pescadores, um destino potencial. Pires diz que a regulação e avanço de Porto só foram possíveis graças às conquistas da AHPG (Associação de Hoteleiros de Porto de Galinhas), entidade que tem o cuidado de manter o patamar da praia e fortalecer as relações com governos e entidades turísticas.

Alberto Feitosa, que se declara defensor do Estado mínimo, relata que a participação democrática de todos os empresários da região foi essencial para fomentar o crescimento de Porto num momento crítico de sua história. Antigo secretário de turismo de Pernambuco, relembrou também que a valorização da Empetur foi essencial para potencializar o nome do local num panorama nacional.

Já Bráulio Moura, gerente de projetos turísticos da cidade do Recife, ressalta a importância de um evento como a Fliporto para a atividade turística do estado. Recife e, Pernambuco como um todo, estão tentando reposicionar sua abordagem e não focar apenas nos ambientes praieiros como destino, mas valorizar ainda mais sua criatividade, expressões tecnológicas, gastronômicas e culturais.

Os debatedores realçaram ainda o compromisso com a atenção ao impacto ambiental, motivo pelo qual Porto e praias próximas não recebem grandes eventos. A ideia é manter o destino como um ambiente tranquilo, familiar e, de estrutura modesta, porém sólida.

Deixe uma resposta